As farmácias não vendem mais meu medicamento, o que fazer?

Quem já se deparou com este tipo problema, seja como profissional ou como paciente, sabe que é algo bem inconveniente de se resolver. Muitas vezes o paciente faz uso de forma crônica de um fármaco e ele some do mercado farmacêutico sem aviso prévio. Este é um problema muito sério, pois mexe com toda a logística do profissional prescritor e com a vida financeira de quem adquire o medicamento. Não é raro o paciente não saber qual conduta tomar e nem solicita ao profissional farmacêutico algumas orientações sobre o ocorrido.

Pois bem, o que fazer?

O ANVISA publicou, no dia 12/07/17, algumas recomendações sobre a temática que vale a pena divulgar:

– Quais os motivos pelos quais um medicamento deixa de ser encontrado?

  • Ainda não existe registro no Brasil.
  • O registro foi cancelado.
  • O laboratório parou de fabricar o produto.
  • Há problemas na distribuição do produto em sua cidade.
  • O laboratório  parou temporariamente de produzir o produto.
  • O medicamento foi retirado do mercado pela Anvisa por problemas na qualidade.

Segundo a ANVISA:  “…os laboratórios são obrigados a informar sempre que houver risco de um produto sair das prateleiras e deixar pacientes sem tratamento. Pela regra, esse aviso deve ser feito com, pelo menos, 12 meses de antecedência, quando houver risco de desabastecimento”.

Sendo assim, procure sempre um farmacêutico e confira se existe algum aviso de interrupção de produção de algum medicamento que você faz uso. Informe ao profissional prescritor o mais rápido possível para que seja tomadas as devidas providências. Seu tratamento é coisa séria, não deixe para depois.

Entrar em contato com SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente) do laboratório em questão é sempre interessante. O número para contato encontra-se na embalagem do medicamento. O laboratório pode lhe informar se a falta é provisória ou definitiva. Caso tenha dificuldade neste procedimento fale com um farmacêutico. Tenha certeza que ele vai esclarecer todas as suas dúvidas da melhor maneira possível.

Na grande maioria das vezes existem alternativas terapêuticas (genéricos, similares, outros medicamentos) disponíveis no mercado. Converse com seu Farmacêutico e com o profissional prescritor para ver qual a melhor conduta a ser tomada.

Nunca se automedique! Sua saúde não é brinquedo.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.